INGMAR BERGMAN

 

"O ano era 1986 e pela quarta vez eu encenaria O Sonho, de Strindberg. A decisão parecia acertada: Senhorita Júlia e O Sonho no mesmo ano. Minha sala no Teatro Real [Royal Dramatic Theatre], popularmente conhecido como Dramaten, tinha sido reformada. Mudei-me para lá. Agora me sentia em casa". 

Ingmar Bergman (Lanterna Mágica - Uma Autobiografia: Ingmar Bergman)

 

Ingmar Bergman (1918 - 2007) estudou na Universidade de Estocolmo, onde se interessou por teatro e, mais tarde, por cinema. Iniciou a carreira em 1941, escrevendo a peça teatral  Morte de Kasper. Em 1944, desenvolveu o primeiro argumento para o filme Hets. Realizou o primeiro filme em 1945, "Kris".

Seus trabalhos lidam geralmente com questões existenciais, como a mortalidade, a solidão e a fé. Suas influências literárias provêm do teatro: Henrik Ibsen e August Strindberg.

Teve um romance com Liv Ullmann, com quem teve uma filha. Dirigiu a atriz em dez filmes, começando por Persona, uma de suas obras mais famosas.

O diretor e roteirista morreu em sua casa em Fårö, aos 89 anos, onde encontra-se sepultado.

"Bergman adora o teatro. É a sua verdadeira família". 

Woddy Allen (The New York Times, setembro - 1988)

 

SONATA DE OUTONO

 

Sonata de Outono apresenta uma conturbada relação entre mãe e filha, seus conflitos e desejos.

A montagem teatral baiana foi a primeira a ser realizada no nordeste brasileiro com anuência da Fundação Bergman na Suécia.

Com direção de Aimar Labaki, a montagem teve a sua estreia em 02 de maio de 2014, no Teatro Martim Gonçalves, Salvador, Bahia, seguindo em temporada até 1º de junho do mesmo ano.

 

Veja aqui a matéria

 

 

DIREÇÃO ARTÍSTICA: AIMAR LABAKI

Diretor teatral, dramaturgo, tradutor, ensaísta, roteirista, curador e consultor de São Paulo. Já dirigiu, entre outros, Natália Thimberg, Dan Stulbach, Graziela Moretto, Emílio Orciollo Netto, Hugo Possolo e Clara Carvalho. Premiado duas vezes pela APCA - Associação Paulista de Críticos de Arte -  como iluminador e autor de textos para jovens. Seus textos já foram dirigidos por Gianni Ratto, William Pereira e Emílio de Biasi, e inclui, entre outros, "Marlene Dietrich, as Pernas do Século", "A Boa", " O Anjo do Pavilhão Cinco" e "Campo de Provas".

 

"Teatro não é apenas arte, auto-conhecimento  e uma versão condensada da Jornada do Herói. É também muita ralação, intimidade compulsória e um estado permanente de crise. Só vale a pena em boa companhia.

Cristina Leifer tem sido excelente  companhia desde que montou meu texto A Boa – e  não por causa disso. Agora, me convida para uma aventura  por regiões mais profundas: Bergman. Ela trouxe sua turma, soteropolitana, afinada, talentosa; eu, minha tribo paulista, gente que a quem admiro e com quem já tenho o prazer de conviver  ( alguns deles há uns trinta anos) :  Thaia Perez, Plínio Soares, Carlos Baldim,  Adriana Londoño.

Bem acompanhados, podemos nos sentir mais seguros para enfrentar esta Sonata de Outono,  filme/texto da maturidade do mestre sueco. Não apenas um embate final mãe e filha, mas também uma reflexão sobre a dicotomia entre Arte e Natureza e uma condensação de vários temas e procedimentos de sua obra,  esta Sonata está imortalizada no cinema. Revivê-la  no teatro é tarefa delicada.

Homem de teatro,  Bergman trabalha a especificidade de cada linguagem com mão segura. Só acha seus filmes teatrais quem confunde linguagem com tecnologia.  Por isso mesmo, utilizar seu texto cinematográfico como base para um jogo teatral exige um cuidado redobrado para não cair na armadilha das aparências. É preciso dar às palavras e aos atores um protagonismo diferente do que eventual  e aparentemente têm nas telas.

 Que os orixás abençoem essa obra de um sueco aparentemente  sem Deus. Nossa montagem é, em si, uma forma de oração."

(Aimar Labaki)

 

 

ELENCO

 

CRISTINA LEIFER

Atriz, idealizadora e coordenadora do projeto "Bergman no Teatro", nasceu na Bahia. Além de atriz, é também professora, diretora teatral e produtora cultural. Premiada melhor atriz com o troféu Bahia Aplaude (atual Prêmio Braskem de Teatro). Cursou mestrado e doutorado no Programa de Pós­-graduação em Artes Cênicas da Ufba, com ênfase em interpretação teatral, sob a orientação do Profº Drº Ewald Hackler. Graduada em Psicologia pela Ufba, com especialização em Psicanálise pela Escola Brasileirade Psicanálise e Escola Baiana de Medicina. Possui formação extra­ acadêmica com Ariane Mnouchkine, diretora do Théâtre du Soleil (França); Michael Corbidge, Treinador Sênio de Voz e Texto da Royal Shakespeare Company (Inglaterra); Justin Audibert, Diretor Artístico do Royal Shakespeare Company (Inglaterra); Sergey Zemtsov, Diretor do Teatro de Arte de Moscou (Rússia); os poetas e escritores Antônio Cícero (SP), Paulo Henriques Britto (UFRJ), José Luiz Passos (Universidade da Califórnia), Ricardo Aleixo (BH), João Bandeira (SP), entre outros. Atualmente ministra o curso “Interpretação para Teatro Contemporâneo” no âmbito do projeto Retrate -­ Requalificação dos Trabalhadores de Teatro, promovido pelo Sated­Ba com subsídio da Secretaria de Cultura do Estado da Bahia. Recentemente ​integrou a comissão de seleção do Polo Teatral 2014 -­ I Festival de Teatro do Interior do Estado da Bahia e no momento faz parte da comissão julgadora do Prêmio Braskem de Teatro 2015.  

 

THAIA PEREZ

Atriz, nasceu em São Paulo. Já trabalhou com os mais respeitados diretores de teatro do Brasil, como o ator Paulo José, Fauzi Arap, Sérgio Britto, Flávio Rangel, Amir Haddad, Rubens Correa, entre outros. Foi premiada como atriz com os troféus APETESP e GOVERNADOR DO ESTADO DE SÃO PAULO e indicada ao prêmio MAMBEMBE DE TEATRO. Trabalhou no cinema com o diretor Ugo Giorgetti. Além de atriz é diretora teatral, professora e educadora corporal, com especialização no método de Reeducação do Movimento, de Ivaldo Bertazzo, São Paulo.

 

PLÍNIO SOARES

Ator e diretor teatral, nasceu em São Paulo. Forma-se pela Escola de Artes Dramáticas da Escola de Comunicações e Artes da Universidade de São Paulo (EAD/ECA/USP). Alguns de seus principais trabalhos no teatro são: "Bonita Lampião", texto e direção de Renata Melo, trabalho pelo qual foi indicado a melhor ator pelo Prêmio Shell de Teatro; "Espectros", adaptação de Ingmar Bergman da obra de Henrik Ibsen, direção de Francisco Medeiros; "O Santeiro do Mangue", de Oswald de Andrade, direção de José Celso Martinez Correa, entre outros. No Cinema atua em: "Ensaio sobre a Cegueira" (Blindness), de Fernando Meirelles; "Equilíbrio & Graça", de Carlos Reichenbach; "Domésticas", de Fernando Meirelles e Nando Oliva. Na televisão, além do programa "Ratimbum", na TV Cultura, participa das novelas e minisséries de Rede Globo, como "Mad Maria", "Coração de Estudante", "Esperança", "Malhação", entre outros.

 

 

FOTOS

Clique aqui para fazer o download do pacote de fotos.

 

Espetáculo Ensaios

 

 

  O Projeto Bergman O Espetáculo O Curso Amostra Reflexões Contato
Todos os direitos Reservados